ÁREA DO FILIADO

Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado de Alagoas

Notícias

07/03/2018

CTB ALAGOAS LANÇA NOTA DE REPÚDIO: PARA PRIVATIZAR A ELETROBRAS, AGRIDEM OS TRABALHADORES E O POVO

Em decorrência da audiência de protocolo da privatização da Eletrobras, os trabalhadores se reuniram na defesa da estatal e sofreram agressões da polícia. A CTB-AL lançou uma nota de repúdio e o Sintep acompanha a Central e corrobora com a nota:

 

CTB ALAGOAS: NOTA DE REPUDIO
PARA PRIVATIZAR A ELETROBRAS, AGRIDEM OS TRABALHADORES E O POVO

 

A Direção Estadual da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB de Alagoas, repudia os atos de violência realizados contra os trabalhadores que se manifestaram na última terça-feira (06), durante a audiência pública que discutiu a privatização da Eletrobras Distribuição Alagoas.

A CTB a o povo alagoano para o prejuízo e o retrocesso que significará a privatização da Eletrobras. Por se tratar de um setor de monopólio decorrente das características da distribuição de energia, a população ficará refém de uma única empresa privada que irá operar o setor objetivando lucros máximos.

A verdade é que o governo federal tenta entregar a Eletrobras por um valor extremamente mais baixo do que a empresa realmente vale. Inúmeros analistas apontam para a consequente elevação das tarifas decorrentes da alteração da lógica de funcionamento da empresa.

O objetivo do governo federal com a realização da audiência pública era apenas protocolar, como parte das exigências legais para encaminhamento do processo de venda da empresa. Diante da impossibilidade de defender os reais motivos da privatização da Eletrobras, o governo preferiu utilizar as forças de segurança para impedir que os trabalhadores e a população conseguissem verdadeiramente participar das discussões.

A violência física utilizada contra os trabalhadores que se manifestaram durante o evento merece o repúdio de toda população, bem como devemos repudiar a grande violência contra a população que se escancara na privatização da Eletrobras.